Telefone: 47.3351.3070

Rua Heinrich R. B. Erbe, 30, Sala 103 - Brusque - SC Veja o mapa

Psoríase(*)

Psoríase(*)

O que é PSORÍASE?
A psoríase é uma doença da pele relativamente freqüente, que afeta de 1 a 3 % da população geral e atinge indistintamente homens e mulheres, sendo mais freqüente na raça branca. Caracteriza-se pelo aparecimento na pele de lesões róseas ou avermelhadas, recobertas de escamas secas e esbranquiçadas. Muitas vezes, estas lesões estão localizadas apenas nos cotovelos, joelhos ou couro cabeludo.
Em outros casos, as lesões podem se espalhar por toda a pele. As unhas podem ser afetadas e, muito raramente, as articulações, causando a artrite psoriásica. Pode a psoriase se iniciar somente nas unhas, ou, somente nas articulações.
A psoríase pode se manifestar logo após o nascimento ou tardiamente no idoso, mas o mais comum é o inicio entre a 2a e a 4a décadas da vida.

Como é feito o diagnóstico?
Pelo simples exame clínico, observando a pele, as unhas e o couro cabeludo do paciente, o dermatologista consegue concluir o diagnóstico.
Exames de laboratório geralmente são de pouca utilidade, pois a psoríase é uma doença que não cauda manifestações em órgãos internos. Além do “olho clínico”, o único recurso que pode confirmar o diagnóstico de psoríase é a biopsia de pele: é um exame simples, feito em ambulatório ou consultório sob anestesia local, que ajuda a esclarecer se a lesão é psoríase ou não. No entanto, se o dermatologista é experiente, a biópsia é desnecessária.

Qual é a causa?
As caudas exatas da psoríase ainda não estão totalmente esclarecidas. Todas as pesquisas científicas demonstram que a hereditariedade desempenha um importante papel e, em 30% dos casos, existem antecedentes familiares de psoríase. Além da predisposição genética, existem fatores que podem desencadear ou agravar a doença como estresse emocional, traumas ou irritações na pele, infecções de garganta, baixa umidade do ar e uso de alguns medicamentos. Portanto, é muito importante que o dermatologista que lhe acompanha seja informando de todos os fatores que ocorrem no seu dia a dia, bem como o nome de todos os medicamentos que você esta utilizando.

A PSORÍASE é contagiosa?
Não, de modo algum. Não se pega psoríase de ninguém e não há nenhum motivo para os pacientes evitarem o contato físico com outras pessoas.

Será que meus filhos também terão?
Embora saibamos que existe uma tendência familiar para a psoríase, é impossível avaliar qual o risco de sus filhos terem ou não a doença. Certamente, eles têm mais chance de NÃO ter do que ter a psoríase. Entretanto, o risco para eles é maior do que para crianças cujos pais não têm Psoríase, este risco é de cerca 20 % a maior..

A mulher que tem PSORÍASE pode engravidar?
Sim. A mulher psoriásica terá uma gravidez normal e, em alguns casos, as lesões de psoríase podem até melhorar durante os nove meses da gestação. No entanto, existem medicamentos utilizados para formas graves de psoríase que, embora sejam muito eficazes, não devem ser usados na gravidez, como o metotrexato e a acitretina, pois são altamente teratogênicos, ou seja, acontecem malformações nas crianças.

É preciso fazer algum tipo de dieta?
Não. Não existem provas de que a dieta possa causar ou agravar a psoríase. No entanto, é importante evitar bebidas alcoólicas.

Existe cura?
Atualmente não temos cura.
As lesões da psoríase podem desaparecer completamente, mas não se pode falar de cura definitiva, pois sempre existirá uma tenência a recaídas.
O objetivo principal do tratamento é chegar-e a um ponto em que as lesões sejam aceitáveis para cada doente, melhorando a sua qualidade de vida. No entanto, os tratamentos mais modernos tem se tornado cada vez mais eficientes e as pesquisas científicas no campo da psoríase continuam apontando para melhores terapêuticas no futuro.

Pode-se prevenir?
Não, porque as causas da doença ainda não estão totalmente esclarecidas e, na maioria dos casos, já nasce com uma programação genética para ter ou não psoríase.

Pode-se prevenir as recaídas ou o agravamento das lesões?
Sim. Em primeiro lugar, tendo uma postura otimista, positiva, entendendo que a psoríase é uma doença relativamente benigna e não contagiosa.
Em segundo lugar, evitando estresse; tratando rapidamente as infecções que surgirem, sobretudo as de garganta; evitando queimaduras, cortes e traumas na pele; mantendo-se afastado de medicamentos que sabidamente agravam a psoríase (informe-se com seu médico); JAMAIS utilizando corticosteróides por via oral ou injetável; hidratar diariamente a sua pele.

Qual o melhor tratamento?
Existem várias formas de tratamento, desde simples pomadas até medicamentos injetáveis ou banhos de luz (fototerapia).
Antes de iniciar o tratamento, os pacientes devem ser examinados pelo dermatologista que avaliará as circunstâncias de cada caso e escolherá qual o esquema mais adequado para cada situação. É importante lembrar que 75 a 80% dos pacientes têm formas leves e moderadas de psoríase, que podem ser controladas apenas com tratamentos locais (pomadas, loções, xampus, géis, e sprays à base de . . . . . ), desde que bem indicados e usados com supervisão médica.
Nas formas mais avançadas, além da fototerapia (em sessões 2 ou 3 vezes por semana usando o ultravioleta – UV- cuidado e acompanhamento de perto pois pode provocar catarata e câncer de pele), podem ser utilizados medicamentos de uso interno como . . . . . . . . e todos exigindo supervisão médica e exames de laboratório seriados para controle de possíveis efeitos colaterais.
Em todas as situações, é muito importante o uso diário de hidratantes e substâncias que ajudem a manter a pele com menos escamas.

Para evitar piora e/ou recidivas, procurar seguir estas orientações:

Evitar o Stress, por ter o indivíduo sob tensão uma piora do quadro, normalmente.

Raspar as lesões. O fato de as rasparmos poderá fazer piorar, já que é sabido que o traumatismo é um dos fatores ocasionadores da patologia (pode ocorrer em cicatrizes). Igual a raspar é arrancar as “casquinhas”.

Bebida Alcoólica. Também neste caso poderá ocorrer piora.

Antiinflamatório Não Hormonal. Estas medicações agem no sistema de prostaglandinas, diminuindo alguns fatores dentro da epiderme, parte de cima da pele, ocasionando piora. Alguns até poderiam ser utilizados com melhora, mas são muito hepatotóxicos.OURO. É droga de uso oral ou injetável, usado em algumas doenças autoimunes, entre elas a Artrite Reumatóide, e, a Psoriase poderá ter uma grande piora, e, poderá a Psoriase Artropática imitar a Artrite Reumatóide. Cuidado.

Anti-Maláricos. Estas medicações promovem uma proteção do sol nos que as ingerem, e, também é sabido que os psoriáticos pioram no inverno, pela ausência do sol, que é inclusive usado em algumas situações de terapia.

Beta-Bloqueadores. São drogas utilizadas para tratamento da Hipertensão Arterial, entre outras.

Anti-Depressivos. São drogas que induzem a uma situação de stress relacionados ao anterior do uso da droga. Entre todos, o de pior resultado seria o Lítio, que quando desencadeia o quadro, é de péssimo diagnóstico.

Imunossupressores. Talvez o protótipo destes sejam os Corticosteróides, e, estes em altas doses, na sua retirada, teremos na maioria das vezes, uma piora.

Interferon. São medicações de uso muito restrito, e, um deles poderá ser usado com bons resultados, o B1. Todos os outros poderão ocasionar piora.
Iodetos. estas drogas podem induzir a uma doença conhecida como Erupção Acneiforme, e, no caso desta em questão, poderá induzir a formação de pústulas, a Psoriase Pustulosa. CUIDADO.

Lista de drogas reportadas que podem causar agravamento da Psoríase:
Entre 1% e 10% dos pacientes que toman Acitretino podem piorar sua Psoríase.
Estas drogas que seguem são as descritas como podendo agravar a Psoriase:

ACEBUTOLOL ACITRETIN ALDESLEUKIN AMIODARONE AMOXICILLIN AMPICILLIN ARSENIC ASPIRIN ATENOLOL BETAXOLOL BISOPROLOL CAPTOPRIL CARBAMAZEPINE CARTEOLOL CARVEDILOL CELECOXIB CHLORAMBUCIL CHLOROQUINE CHLORTHALIDONE CIMETIDINE CITALOPRAM CLARITHROMYCIN CLOMIPRAMINE CLONIDINE CO-TRIMOXAZOLE CYCLOSPORINE DEXFENFLURAMINE DICLOFENAC DIGOXIN DILTIAZEM DIPYRIDAMOLE DOXYCYCLINE ENALAPRIL ESMOLOL FLECAINIDE FLUOXETINE FLUOXYMESTERONE FOSCARNET GANCICLOVIR GEMFIBROZIL GLIMEPIRIDE GLIPIZIDE GLYBURIDE GOLD & GOLD COMPOUNDS GRANULOCYTE COLONY-STIMULATING FACTOR (GCSF) HYDROXYCHLOROQUINE IBUPROFEN INDOMETHACIN INTERFERONS, ALFA-2 KETOPROFEN LABETALOL LETROZOLE LEVAMISOLE LITHIUM MECLOFENAMATE MEFLOQUINE MESALAMINE METHYLTESTOSTERONE METOPROLOL MODAFINIL NADOLOL OMEPRAZOLE ORAL CONTRACEPTIVES PENBUTOLOL PENICILLAMINE PENTOSTATIN PERINDOPRIL PINDOLOL PRIMAQUINE PROPRANOLOL PSORALENS QUINIDINE QUININE RABEPRAZOLE RANITIDINE RISPERIDONE RITONAVIR, RIVASTIGMINE, ROPINIROLE, SOTALOL, SULFAMETHOXAZOLE SULFASALAZINE TACRINE TERBINAFINE TERFENADINE TESTOSTERONE TETRACYCLINE THIABENDAZOLE THIOGUANINE TIAGABINE TIMOLOL, TRAZODONE VENLAFAXINE ZALEPLON