Telefone: 47.3351.3070

Rua Heinrich R. B. Erbe, 30, Sala 103 - Brusque - SC Veja o mapa

Cirurgia Dermatológica

É qualquer procedimento que seja realizado, sendo ele pelo médico, com ou sem anestesia. Não necessariamente esta será por um dermatologista, mas deveria ser, já que este é o médico que sabe como a pele se comporta.

 

Curativos, injeções com medicações (desde que sejam receitadas por médicos), de forma geral não são consideradas como método cirúrgico, exceto quando estas sejam com materiais de preenchimento, sejam de rugas ou de outros defeitos, podendo estas somente ser realizada por médico.

 

Peeling: é a realização de prática onde após o procedimento teremos uma descamação da pele, podendo este peeling ser superficial ou profundo, quimicamente realizado ou por dermoabrasão (raspagem manual ou com aparelhos), e esta remoção das camadas de pele poderá ser imediata como nas dermoabrasões (a epiderme é imediatamente removida) ou após dias , o que ocorre nos químicos.

 

Cauterização: é o procedimento médico onde se aplica instrumentos que queimem a área que esta sendo tratada, com o bisturi elétrico (coagulação e fulguração), bisturi a laser (muito cuidado deverá ser tomado por alguns médico (a)s que usam bisturi elétrico (em processo de fulguração) e como soltam faíscas, dizem que é bisturi a laser. Que grande bobagem e enganação ao paciente), termocautério. Aqui ainda se aplica que isto seja feito com produtos químicos, que se chamaria cauterização química.

 

Curetagem: será o procedimento no qual seja usado um aparelho, no caso chamado de cureta, onde se raspa as lesões, removendo-as com golpe (única passada) ou parceladamente a cada passagem, podendo ou não ser acompanhada de anestesia e também acompanhada de cauterização elétrica ou química para complementação ou parada de sangramento.

 

Excisão e Sutura Simples: é quando se faz uma incisão (corte) ao redor ou em qualquer outra forma e após isto e que se tenha parado o sangramento (aqui se tem como certo que esta parada de sangramento se tenha feito por técnicas cirúrgicas), se junte as laterais da ferida com pontos, quaisquer que sejam os tipos de pontos (simples, contínuo, etc.).

 

Excisão e Sutura com Retalho: na seqüência de uma cirurgia onde se perde parte da pele, por exemplo eliminação de um tumor, quando se aproxima as bordas, estas não se encostam e com isto temos de usar a cirurgia onde se descola a pele lateral e se movimenta em direção a esta borda, saindo da sua posição normal. Temos vários tipos de retalhos, como deslizamento, rotação, transposição, etc.

Aqui é importante se dizer que a cirurgia dermatológica tem muita importância e esta está aumentando em muito, e, o dermatologista poderá fazer perfeitamente a estes procedimentos, desde que habilitado a isto. A técnica cirúrgica é uma só, independente de especialidades. Depende mais em se saber o que e como se remove uma lesão de pele.

 

Excisão e Sutura com Enxerto: se diz que a pessoa sofre um enxerto quando a pele, para cobrir uma área cirúrgica cruenta (aberta) não se remove do lado, pelo retalho (sempre este está “grudado”, ou seja, vem sangue da pele do lado), vindo a pele de qualquer outro local, por exemplo : para o nariz poderá vir de traz da orelha, e este enxerto terá entrada de sangue por baixo, penetrando por difusão nos tecidos, dentro desta nova pele. Poderá ser desde superficial até de toda a pele, com todas as suas camadas.

 

Golpe de Tesoura: se faz pinçamento da lesão, que normalmente tem base (pedículo) fino e se corta com movimento rápido, resultando área aberta que se comprimindo logo para de sangrar. Normalmente se faz para múltiplas pequenas lesões, mais comuns em áreas de pele mole, como no pescoço.

 

Crioterapia: é a forma de terapia onde será feito a destruição dos tecidos, ou seja, destruição das lesões cutâneas e estas poderão ser malignas e/ou benignas. Esta modalidade de terapia está atualmente muito em voga, já que exporia o indivíduo a baixos riscos, muitas vezes sendo feito até sem anestesia. A forma atual mais empregada é com Nitrogênio líquido, mas poderá ser com CO2 ou com Óxido Nitroso. No pós operatório de tumores, quando o tempo de congelamento é muito longo, eu acho ruim, e por este motivo pouco o tenho utilizado.